5 de janeiro de 2019

Império Bizantino


Questões com gabarito sobre Império Bizantino:

1. (Unesp) A Civilização Bizantina floresceu na Idade Média, deixando em muitas regiões da Ásia e da Europa testemunhos de sua irradiação cultural. Assinale importante e preponderante contribuição artística bizantina que se difundiu expressando forte destinação religiosa:
a) Adornos de bronze e cobre.
b) Aquedutos e esgotos.
c) Telhados de beirais recurvos.
d) Mosaicos coloridos e cúpulas arredondadas.
e) Vias calçadas com artefatos de couro.



2. (UFES) Segundo a crença dos cristãos de Bizâncio, os ícones (imagens pintadas ou esculpidas de Cristo, da Virgem e dos Santos) constituíam a “revelação da eternidade no tempo, a comprovação da própria encarnação, a lembrança de que Deus tinha se revelado ao homem e por isso era possível representá-lo de forma visível.”
(Franco Jr., H. e Andrade Filho, R. O. O IMPÉRIO BIZANTINO. São Paulo: Brasiliense, 1994. p. 27).
Apesar da extrema difusão da adoração dos ícones no Império Bizantino, o imperador Leão III, em 726, condenou tal prática por idolatria, desencadeando assim a chamada “crise iconoclasta”.
Dentre os fatores que motivaram a ação de Leão III, podemos citar o (a):
a) intolerância da corte imperial para com os habitantes da Ásia Menor, região onde o culto aos ícones servia de pretexto para a aglutinação de povos que pretendiam se emancipar.
b) necessidade de conter a proliferação de culto às imagens, num contexto de reaproximação da Sé de Roma com o imperador bizantino, uma vez que o papado se posicionava contra a instituição dos ícones e exigia a sua erradicação.
c) tentativa de mirar as bases políticas de apoio à sua irmã, Teodora, a qual, valendo-se do prestígio de que gozava junto aos altos dignitários da Igreja Bizantina, aspirava secretamente a sagrar-se imperatriz.
d) aproximação do imperador, por meio do califado de Damasco, com o credo islâmico que, recuperando os princípios originais do monoteísmo judaico-cristão, condenava a materialização da essência sagrada da divindade em pedaços de pano ou madeira.
e) descontentamento imperial com o crescente prestígio e riqueza dos mosteiros (principais possuidores e fabricantes de ícones), que atraíam para o serviço monástico numerosos jovens, impedindo-os, com isso, de contribuírem para o Estado na qualidade de soldados, marinheiros e camponeses.



3. (FUVEST) Entre os fatores citados abaixo, assinale aquele que não concorreu para a difusão da civilização bizantina na Europa Ocidental:
a) Fuga dos sábios bizantinos para o Ocidente, após a queda de Constantinopla.
b) Expansão da Reforma Protestante, que marcou a quebra da unidade da Igreja Católica.
c) Divulgação e estudo da legislação de Justiniano, conhecida como Corpus Juris Civilis.
d) Intercâmbio cultural ligado ao movimento das Cruzadas.
e) Contatos comerciais das repúblicas marítimas italianas com os portos bizantinos nos mares Egeu e Negro.



4. (PUC) Em relação ao Império Bizantino, é certo afirmar que:
a) o governo era ao mesmo tempo teocrático e liberal;
b) o Estado não tinha influência na vida econômica;
c) o comércio era sobretudo marítimo;
d) o Império Bizantino nunca conheceu crises sociais;
e) o imperialismo bizantino restringiu-se à Ásia Menor.



5. (PUC-Campinas) O Império Bizantino , ao longo de sua história, apresentou um governo que se caracterizou por:
a) proporcionar condições sociais que possibilitaram eliminar, desde suas origens, o problema da escravidão.
b) procurar eliminar suas origens romanas e por restringir o poder dos soberanos, que era bastante limitado.
c) apresentar um caráter despótico associado à grande influência religiosa, dando-lhe uma feição teocrática.
d) controlar, chegando a eliminar completamente, o poder da burocracia no Estado.



6. (UECE) Na origem do chamado “Cisma do Oriente”, pode-se apontar corretamente:
a) as desavenças entre os membros da hierarquia católica e o Imperador bizantino diziam respeito à cobrança das indulgências e à corrupção dos bispos.
b) significou o aparecimento de inúmeras seitas “reformadas”, que se desligaram da Igreja romana.
c) no Império Bizantino, a Igreja era submetida ao Imperador e promovia um excessivo culto aos ídolos e às imagens.
d) em Bizâncio, ao contrário do cristianismo ocidental, as imagens e os ídolos dos santos não eram objetos de adoração e culto.



7. (PUCPR) O Império Bizantino ou Romano do Oriente existiu durante a Idade Média, sendo-lhe cronologicamente coincidente. Sobre o tema, assinale a alternativa correta: 
a) Seu período de maior esplendor e expansão ocorreu sob o governo de Justiniano, que mandou fazer a codificação das leis romanas. 
b) Sua posição geográfica correspondia às terras da parte ocidental do Império Romano. 
c) Apresentava excessiva descentralização política, o que enfraquecia os imperadores (baliseus). 
d) Reprimiu violentamente a heresia dos cátaros, que ameaçava a sua unidade religiosa. 
e) A força da cultura romana fez com que o latim fosse língua de emprego geral. 



8. (UESPI) Sobre o Império Bizantino é incorreto afirmar que:
a) Teve entre seus governantes o imperador Justiniano, sob quem foi feita a compilação do direito romano, mais tarde incorporado aos modernos sistemas de leis ocidentais;
b) Tinha sua capital na antiga Bizâncio grega, transformada em Constantinopla pelo imperador romano Constantino;
c) Foi o único império da Antiguidade que resistiu ao domínio romano;
d) Era governado por um poder imperial centralizado e despótico;
e) As principais heresias ali observadas eram as dos monofisistas e iconoclastas.



9. (UNIUBE-MG-2016) O Império Bizantino, após a queda de Roma, gradativamente se afastou da influência ocidental e da autoridade exercida pelo papa. Em meados do século XI, após uma série de discordâncias, ocorreu o Cisma do Oriente que dividiu o cristianismo em duas partes. No Ocidente, a Igreja Católica Apostólica Romana se manteve, mas no Oriente, outra Igreja Cristã foi formada.
Assinale o nome que recebeu a Igreja do Império Bizantino.
a) Igreja Protestante.
b) Igreja Renascentista.
c) Igreja Cristã Ortodoxa Grega.
d) Igreja Supra Oriental.
e) Igreja Moderna.



10. (Unesp) O culto de imagens de pessoas divinas, mártires e santos foi motivo de seguidas controvérsias na história do cristianismo. Nos séculos VIII e IX, o Império bizantino foi sacudido por violento movimento de destruição de imagens, denominado "querela dos iconoclastas". A questão iconoclasta 
a) derivou da oposição do cristianismo primitivo ao culto que as religiões pagãs greco-romanas devotavam às representações plásticas de seus deuses. 
b) foi pouco importante para a história do cristianismo na Europa ocidental, considerando a crença dos fiéis nos poderes das estátuas. 
c) produziu um movimento de renovação do cristianismo empreendido pelas ordens mendicantes dominicanas e franciscanas. 
d) deixou as igrejas católicas renascentistas e barrocas desprovidas de decoração e de ostentação de riquezas. 
e) inviabilizou a conversão para o cristianismo das multidões supersticiosas e incultas da Idade Média européia. 



11. (Upe 2009) Na Idade Média, Bizâncio era um importante centro comercial e político. Merecem destaques seus feitos culturais, mostrando senso estético apurado e uso das riquezas existentes no Império. Na sua arquitetura, a igreja de Santa Sofia destacou-se pela 
a) sua afinação com o estilo gótico, com exploração dos vitrais e o uso de metais na construção dos altares. 
b) simplicidade das suas linhas geométricas, negando a grandiosidade como nas outras obras existentes em Bizâncio. 
c) grande riqueza da sua construção, com uso de mosaicos coloridos e colunas de mármores suntuosas. 
d) imitação que fazia dos templos gregos, com altares dedicados aos mitos mais conhecidos, revelando paganismo. 
e) consagração dos valores católicos medievais, em que a riqueza interior era importante em toda cultura existente.



12. ( UFRGS - 2008) Assinale a alternativa que apresenta um dos resultados do entrecruzamento de culturas no Império Bizantino. 
a) As artes visuais diversificaram-se a ponto de serem eliminadas as características estéticas de inspiração greco-cristã. 
b) A adoração popular a ícones religiosos gerou crises na Igreja de Bizâncio. 
c) Elementos clássicos, como a retórica e a língua grega, foram superados em função da interação cultural cosmopolita. 
d) A arquitetura passou a primar pela simplicidade, a fim de se adequar à doutrina religiosa ortodoxa. 
e) A estrutura jurídica do Império Bizantino não sofreu a influência do direito romano.



13. (UFPE) Um estudo da economia bizantina no período medieval:
a) atesta um grande desnível social, com a presença da servidão, de latifundiários aristocratas e de uma Igreja de grande poder político;
b) registra a falta de prestígio dos comerciantes, que levavam uma vida urbana simples e sem ostentação;
c) mostra uma atividade comercial pouco desenvolvida e muito semelhante à do feudalismo europeu;
d) revela a força dessa economia, em razão das pequenas propriedades administradas com o apoio do poder estatal;
e) evidencia a falta de apoio do Estado na gestão dos negócios, devido à presença soberana da Igreja.



Nenhum comentário:

Postar um comentário