Resumo Sobre a Guerra Fria

        A Guerra Fria consistiu num conflito permanente entre os Estados Unidos e a União Soviética, na qual os dois lados evitavam o confronto militar direto temendo que o uso de armas nucleares (tecnologia em expansão no período) levasse a destruição de ambos. Mas, para defender seus interesses, ajudar seus aliados e expandir suas áreas de influência, os dois lados usaram a propaganda, a espionagem, a violência, o armamentismo e a tecnologia. As origens da Guerra Fria estão intrinsecamente ligadas as consequências da Segunda Grande Guerra. 

        Próximo do fim da Segunda Guerra Mundial, as maiores potências econômicas e militares do pós-guerra (Estados Unidos, Inglaterra e União Soviética) reuniram-se na Conferência de Yalta, na União Soviética, para discutir os rumos do mundo completamente modificado após os conflitos da Segunda Guerra. Naquele momento, foi autorizada a concessão de parte da Polônia para a URSS, além da extensão da influência soviética sobre outros países do leste europeu. Mais tarde, ao fim da Guerra, a Conferência de Potsdam resolvia sobre a desnazificação da Alemanha, o julgamento dos crimes de guerra, além da divisão da Alemanha e sua capital, Berlim. Além dessas resoluções, outras instituições e medidas foram herdadas da Segunda Guerra e caracterizaram o mundo bipolar vivido na segunda metade do século XX. 

        Com a imposição do comunismo no Leste Europeu e a popularização dos partidos comunistas em algumas nações europeias, as rivalidades entre comunistas e liberais se acirraram. Nesse contexto, se destacou o líder britânico Winston Churchil na disseminação da cortina de ferro com objetivos de frear a expansão soviética. 

        Churchil afirmava que era preciso impedir, a qualquer custo, o avanço do comunismo para além daquela “cortina” de ferro que dividia e opunha a Europa. A seguir, convocou o Ocidente para uma grande cruzada contra o comunismo. No ano seguinte, o presidente estadunidense Harry Truman também se e posicionou contra a URSS, dizendo que os EUA dariam apoio total, ou seja, militar, ideológico financeiro, à luta dos povos contra o comunismo em todo o mundo, a chamada doutrina Truman. 

        O mundo se dividia, assim, em dois blocos rivais e inconciliáveis: o capitalista, liderado pelos Estados Unidos; e o comunista, liderado pela União das Repúblicas Socialistas Soviéticas. A partir dessa divisão econômica, política e militar e das frequentes propagandas que circulavam no período, convencionou-se tratar desse período como momento da ordem internacional bipolarizada, ou mundo bipolar. 

    No imediato pós-guerra, muitos europeus viam o comunismo como uma solução para seus problemas socioeconômicos. Isso ajuda a explicar por que os partidos comunistas da Itália da Alemanha Ocidental, da Inglaterra e da França vinham crescendo. Para fazer frente a esse crescimento, o governo dos EUA pôs em prática um plano idealizado pelo seu secretário de Estado na década de 1940, o general George Marshall, cujo objetivo principal era o enfraquecimento do comunismo e o fortalecimento do capitalismo europeu. 

        O Plano Marshall, anunciado pelo governo estadunidense em 1947, consistia em um programa de ajuda econômica aos países capitalistas mais atingidos pela Segunda Guerra. A ajuda dos EUA incluiu empréstimos em longo prazo e juros reduzidos, concessão de tecnologia e investimentos volumosos. Em um tempo relativamente curto, o Plano Marshal atingiu seus objetivos, permitindo a rápida recuperação econômica de países como a Inglaterra, a Alemanha Ocidental e a França. Além disso, estimulou as exportações norte-americanas para a Europa, fortalecendo a liderança mundial dos Estados Unidos e diminuindo a força do comunismo no continente europeu. 

        Houve também algumas mobilizações da nação comunista. Também em 1947, Stálin (líder da URSS no período), criou a Agência Comunista de Informação (COMINFORM) com o objetivo de coordenar o movimento comunista do mundo. Os partidos comunistas do leste e do oeste da Europa foram obrigados a obedecer a esse organismo. 

        Nesse clima de tensão, Estados Unidos e União Soviética decidiram dividir o território alemão em dois países. Dessa forma, em 1949, nasceu a República Federal da Alemanha (Alemanha Ocidental), de regime capitalista sob a influência dos EUA e a República Democrática Alemã (Alemanha Oriental), de regime socialista sob a influência da URSS. A Cidade de Berlim também foi dividida em duas: Berlim Oriental (Comunista) e Berlim Ocidental (Capitalista). A construção do muro de Berlim, que dividia as duas cidades, foi um dos principais símbolos da Guerra Fria por muitos anos. 

       A disputa entre os Estados Unidos e a União Soviética pela hegemonia do poder em diversos ramos da tecnologia e os interesses da lucrativa indústria bélica provocaram uma corrida armamentista, que foi uma das principais características da Guerra Fria. Em 1949, as duas superpotências já possuíam tecnologia para construir a bomba atômica, sendo que os EUA já possuíam desde 1945. Então, cada vez mais intensificaram o investimento em armas nucleares. 

        Durante o governo Krushchev (1954- 1963) teve início à coexistência pacífica, fase da Guerra Fria em disputa entre os Estados Unidos e a União Soviética deslocou-se do campo militar para o da ciência e tecnologia. Cientes de que não era possível resolver a disputa militarmente, devido ao enorme poder de destruição de suas armas nucleares, os Estados Unidos e a União Soviética investiram na exploração do espaço afim e demonstrar ao mundo que o seu sistema socioeconômico era o mais avançado. 

    Dessa forma, a Guerra Fria agitou as décadas do pós-guerra. Políticas de propaganda anticapitalista e anticomunista, perseguições políticas, além da corrida armamentista e tecnológica marcaram a experiência de quem observou as transformações do mundo entre o fim dos anos 1940, até os anos 1970. O mundo bipolar atravessou também uma série de conflitos políticos que ocorreram nesse momento por conta das influências dos EUA e da URSS nos conflitos. Como, por exemplo, na Coréia, no Vietnã, no Leste europeu, entre outros.

Algumas características da Guerra Fria:
  • A Guerra Fria ocorreu após a 2ª Guerra Mundial;
  • A Guerra Fria ocorreu entre 1947 e 1991;
  • A Guerra Fria dividiu o mundo em capitalista e socialista;
  • O conflito não foi armado, mas sim, ideológico;
  • Corrida armamentista;
  • Corrida espacial;
  • Desenvolvimento de redes de espionagem;
  • Aumento da produção de armamento nuclear;
  • Realização de investimentos econômicos em países aliados;
  • Criação da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan);
  • Assinatura do Pacto de Varsóvia entre União Soviética e aliados;
  • Divisão da Alemanha em Ocidental (capitalista) e Oriental (socialista), através do Muro de Berlim.

Postar um comentário

0 Comentários